O sistema mais simples e prático de gestão de atividades
Empreendedorismo 21 de novembro de 2016

Como Donald Trump pode afetar você e a sua Empresa!

plus (23)
Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Share on Google+0Email this to someone

trump-1024x670

Em uma briga acirradíssima e surpreendendo o mundo inteiro, Donald Trump do Partido Republicano, magnata, empresário, investidor e personalidade da mídia norte-americana foi eleito na madrugada do dia 9 como Presidente dos EUA, vencendo sua opositora com 60.071.650 votos.

Sem título

E é claro, tal acontecimento resulta em um incerto e oscilante futuro global. Mas o que de fato nos interessa saber é: O que a eleição representa para nós brasileiros? 

Principalmente para os donos de negócio, empresários e PME’s?

Saiba a seguir, as expectativas, medidas, consequências e o impacto geral da escolha que atinge o mundo inteiro.

1. Relação econômica com o Brasil/Mundo

Para o Brasil, dentro da economia, ocorrerá mudanças no comércio mundial. Hoje, os EUA é o segundo grande parceiro comercial do Brasil, ficando somente atrás da China.

O entendimento das decisões eleitorais de acordo com o economista e professor da Fundação Getúlio Vargas, Mauro Rochlin, (fonte: Clique aqui) será maior e bem mais abrangente.

“Como o discurso de Trump é muito protecionista e um tanto xenófobo, o receio é que isso represente uma restrição maior do mercado norte-americano em relação às exportações”.

De acordo com Mauro, os brasileiros poderão ser prejudicados com relação as exportações, se o discurso do candidato realmente venha a acontecer. Uma luz vermelha se acendeu entre as empresas brasileiras do setor, que possuem negócios no mercado norte -americano.

O valor das exportações brasileiras para o EUA é alto, pois são produtos manufaturados, ao contrário da China que são commodities.

Na existência de qualquer contenção com relação ao mercado americano, para o setor exportador será um grande risco.

Além disso, já que o Brasil se beneficia de uma maior abertura dos EUA, Para Trump, o Brasil seria um dos países que estariam roubando empregos dos Estados Unidos. Ao dar um entrevista ao canal CBS em novembro do ano passado, ele colocou os brasileiros entre os principais responsáveis pela “exportação de postos de trabalho” que acontece através da abertura comercial americana. (Fonte: Veja.abril)

Diante desse novo momento, a vitória de Trump deve refletir nos mercados, pois eles poderão estar reprecificando câmbio e bolsas de valores. Dentro da prática, uma queda na bolsa de valores a um curto prazo e uma alta do dólar em relação ás outras moedas.

lala

2. Relação Política com o Brasil

O Brasil depois da eleição está tentando minimizar ao máximo o impacto dessa notícia. Algumas fontes do governo e diplomáticos não esconderam que estão atentos a possíveis problemas que o país possa enfrentar, principalmente na área comercial, já que Trump poderá não ter interesse em levar adiante os acordos de aproximação comercial com o Brasil.

Porém, é só uma “questão de química”. Especialistas dizem que a relação do Brasil com os EUA depende geralmente da química entre os líderes, mesmo se tiverem ideologias e partidos diferentes.

O Brasil e o EUA, possuem relações políticas muito diversificadas mas que os laços estarão mantidos, mesmo com o resultado da eleição. Deverá somente haver diálogo entre os líderes no futuro.

Sérgio Amaral, embaixador brasileiro em Washington diz que Temer, deve investir  nas relações com as cinco principais potências globais (EUA, China,Rússia, França e Reino Unido) e ele também afirma que a Embaixada prioriza áreas que o Brasil e o EUA têm grande afinidade, nas áreas de direitos humanos e meio ambiente, o que facilitaria mais as relações.

Planilha 5W3H

3. Brasil Fora do Radar 

Continuamente, Francisco Rezek, jurista brasileiro e ex-ministro das Relações Exteriores, em uma entrevista dada ao programa Revista Brasil, da Rádio Nacional, analisou e disse que o Brasil está entre os países menos afetados com a vitória de Donald Trump.

“Ele decididamente não nos afeta mais do que a outros, como a comunidade europeia, o Reino Unido, a Rússia e outras nações.”

Ele diz que no restante do mundo e entre os países que mais importam, o Brasil é provavelmente um dos menos afetados.

“Há outros países que têm mais com o que se preocupar do que nós. Sobre nós, o que repercute é apenas essa ideia de que temos, na chefia daquilo que ainda é a nação militarmente e economicamente mais poderosa do mundo, alguém que não tem como avaliar o fenômeno global, os interesses nacionais à luz da comunidade humana que povoa o planeta. É isso que falta a Donald Trump. Nesse sentido, como somos uma parte expressiva deste mundo, um país de dimensões territorial e humana colossais, o problema nos afeta. Mas ele decididamente não nos afeta mais do que a outros, como a comunidade europeia, o Reino Unido, a Rússia e outras nações.”

Por fim, o presidente Michel Temer disse nesta quarta-feira (9), em entrevista à rádio Itatiaia, que a eleição de Donald Trump não muda nada na relação entre Brasil e Estados Unidos. Segundo ele, a relação entre os dois países é “institucional”, de “estado para estado”.

Assim, não é necessário alarde. Porém, ficar atento as mudanças que poderão acontecer é de grande importância já que o empresário deve entender que está em um meio cheio de incertezas e de prováveis acontecimentos que podem consequenciar em uma mudança em sua tomada de decisão. Para que seja usado como um norte ao Gestor, um estudo aprofundado sobre o o novo cenário enfrentado é válido e recomendado!

Baixe o Ebook! (1)

 

 

Ingrid Lima, Colunista do Blog Infortask trabalha na área de Marketing Digital com conhecimentos em Web Design.

comentar